O Que é Hipnoterapia?


12 Feb
12Feb


O Que é Hipnose

A cura pelo estado de transe (ou um estado alterado de consciência) está entre os fenômenos mais antigos conhecidos pelo homem e é encontrada, de uma forma ou de outra, em virtualmente todas as culturas do mundo. Também poderia ser legitimamente descrito como a terapia psicológica original e, de forma um tanto mais contenciosa, como a base para muitos dos estilos mais recentes de intervenção psicológica.Embora esses estados alterados sejam conhecidos há milhares de anos, o termo "hipnose" (do grego "hypnos", que significa "sono") foi cunhado apenas por volta de 1840 pelo Dr. James Braid, um médico escocês, e permanece um pouco menos que a descrição precisa da experiência como o estado hipnótico é, na maioria dos aspectos, totalmente diferente do sono. 


Em nosso nível atual de conhecimento, o fenômeno da hipnose não pode ser definido de forma conclusiva, mas talvez uma definição provisória razoável seja que: A hipnose é um estado de espírito, intensificado (embora não exclusivamente) pelo relaxamento físico e mental, no qual nosso subconsciente é capaz de se comunicar com nossa mente consciente. Pode se melhor definir "hipnose" pelo que ela faz do que pelo que é e, a esse respeito, é amplamente aceita como um método excelente pelo qual podemos acessar nosso potencial interno. O estado de espírito referido pode ser provocado por você mesmo, sem ajuda (auto-hipnose) ou com a ajuda de outra pessoa. Se essa outra pessoa for um profissional treinado, que utiliza o estado de espírito resultante para encorajar a ocorrência de uma mudança benéfica, o processo é denominado "Hipnoterapia".


O Que é Hipnoterapia


A terapia e aconselhamento psicológico (às vezes referido como a "cura pela fala") é o tratamento de distúrbios emocionais e psicológicos, hábitos indesejáveis e sentimentos indesejáveis, usando apenas técnicas psicológicas. O objetivo de todas essas terapias é ajudar as pessoas (geralmente chamadas de clientes) a encontrar alternativas significativas para suas atuais maneiras insatisfatórias de pensar, sentir ou se comportar. A terapia também tende a ajudar os clientes a aceitarem mais a si mesmos e aos outros e pode ser muito útil para promover o desenvolvimento pessoal e desbloquear o potencial interior. Existem muitas formas de terapia psicológica, mas a hipnoterapia é distinta na medida em que tenta abordar a mente subconsciente do cliente. Na prática, o hipnoterapeuta muitas vezes (mas não exclusivamente) exige que o cliente esteja em um estado relaxado, frequentemente recorre ao poder da própria imaginação do cliente e pode utilizar uma ampla gama de técnicas de narração de histórias, metáforas ou simbolismo (julgado como significativo ao cliente individual) ao uso de sugestões diretas para mudanças benéficas. Técnicas analíticas também podem ser empregadas na tentativa de descobrir problemas considerados como estando no passado de um cliente (referido como o 'lá e então') ou a terapia pode se concentrar mais na vida atual de um cliente e apresentar problemas (referido como 'aqui e agora'). Geralmente é considerado útil se o cliente está pessoalmente motivado para mudar (em vez de depender exclusivamente dos esforços do terapeuta), embora a crença na possibilidade de uma mudança benéfica possa ser um ponto de partida suficiente. Independentemente das técnicas empregadas, talvez o mais importante seja que o cliente espere sentir-se confortável e à vontade com sei terapeuta. Isso é de particular importância na hipnoterapia, na qual o valor do tratamento é muito aumentado quando há confiança no médico. Por este motivo, é recomendável que uma única sessão seja inicialmente reservada, deixando o cliente posteriormente livre para decidir se deseja prosseguir com mais. Ao contrário de muitas outras terapias psicológicas, a hipnoterapia é geralmente considerada uma abordagem de curto prazo, na qual uma mudança benéfica, caso ocorra, deve se tornar aparente em relativamente poucas sessões. (Na prática real, a maioria dos hipnoterapeutas combinará procedimentos hipnóticos com outras técnicas de aconselhamento e terapêuticas apropriadas. Se houver qualquer dúvida sobre a combinação de habilidades utilizadas em casos individuais, o terapeuta deve ser solicitado diretamente para uma explicação adicional de sua metodologia preferida. )


Quem pode ser hipnotizado?


A resposta a esta pergunta é, sem dúvida, "praticamente todos". Esta afirmação deve, no entanto, ser qualificada pela observação de que alguns são mais prontamente hipnotizáveis do que outros e que também dependerá da disposição de ser hipnotizado no momento. Essa disposição em si dependerá de uma série de fatores, entre os quais a força da necessidade particular da pessoa e sua confiança no terapeuta em questão. Um corolário para esta pergunta é 'Qual nível de transe é necessário para atingir um resultado benéfico?' Embora ainda haja alguma discordância sobre a resposta, a maioria dos pesquisadores concorda que o nível real (ou profundidade) de transe experimentado não se relaciona com o resultados benéficos que podem ser obtidos. Na prática, isso significa que mesmo quando uma pessoa sente que não foi hipnotizada, com o tempo (e este é um fator muito importante), o resultado desejado da terapia ainda pode se materializar. Essa questão de tempo é especialmente importante em nossa sociedade atual, que, em muitos aspectos, foi forçada a acreditar que a satisfação de todos os desejos deve ser instantânea. A hipnoterapia pode ser extraordinariamente eficaz, mas não é mágica. No entanto, se os ingredientes certos estiverem presentes, se for o momento certo e se um profissional adequado puder ser encontrado com quem o cliente está disposto a trabalhar, então todos os seus objetivos (realistas) são alcançáveis.


Quem pode se beneficiar da hipnoterapia?


Novamente, a resposta a esta pergunta é "virtualmente todos". Dado que a hipnoterapia pode ser utilizada para acessar o potencial interno de uma pessoa e que provavelmente ninguém está desempenhando seu potencial real, então esta resposta é literalmente verdadeira. No entanto, não é apenas o potencial que a hipnoterapia está bem posicionada para abordar, mas também os recursos internos para efetuar uma mudança benéfica. Nesse sentido, é a capacidade de cura inata de nosso próprio corpo que pode ser estimulada pela hipnoterapia. Consequentemente, a lista de problemas que podem ser passíveis de hipnoterapia é muito longa e variada para catalogar, mas certamente inclui: estresse, ansiedade, pânico, fobias, hábitos indesejados e vícios (por exemplo, fumar, comer demais, alcoolismo), padrões de sono interrompidos, falta de confiança e baixa auto-estima, medo de fazer exames e falar em público, alergias e doenças de pele, enxaqueca e síndrome do intestino irritável (SII). Além disso, provou ser de valor dentro da cirurgia, onde os anestésicos normais não são práticos, na esfera mais ampla do tratamento da dor e nas áreas de aprimoramento do desempenho esportivo e artístico. Como um complemento a outras técnicas de aconselhamento, também pode ajudar a resolver as dificuldades de relacionamento e ser útil nas estratégias de controle da raiva.Embora ainda existam muitas outras áreas do sofrimento humano nas quais a hipnoterapia pode trazer alívio, há casos em que ela pode ser contra-indicada. Estes podem incluir algumas manifestações de doença depressiva, epilepsia, psicose (por exemplo, esquizofrenia) e alguns problemas respiratórios.


Algumas preocupações comuns


As pessoas às vezes ficam preocupadas com a possibilidade de "perder o controle" durante a hipnose. No entanto, o consenso geral indica que, independentemente de quão profundamente as pessoas possam ir na hipnose e quão passivas possam parecer, elas na verdade permanecem no controle total da situação. Eles são totalmente capazes de falar se quiserem (ou não, conforme o caso) e podem se levantar e sair da sala a qualquer momento. Nem pode uma pessoa hipnotizada ser levada a fazer nada contra seu julgamento ético ou moral usual ou crença religiosa. É provável que a noção de uma perda de controle decorra do equívoco da maioria das pessoas sobre a hipnose de palco, em que os participantes são aparentemente obrigados a realizar todos os tipos de atos (geralmente tolos). No entanto, o leitor deve estar ciente de que a participação em um ato de palco é um processo inteiramente voluntário (assim, a "permissão" já foi dada ao hipnotizador) e que não pode haver tal voluntário que não saiba exatamente o que está fazendo !

Material extraído do site https://www.general-hypnotherapy-register.com/what-is-hypnotherapy/

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.